Beneficiários do INSS podem fazer a prova de vida e a renovação de senha em agências do INSS e em agências bancárias.

Desde o ano de 2012 os segurados do INSS devem realizar a prova de vida e a renovação de senha, sendo que o dia 26 de março foi marcado por uma Resolução do Ministério da Economia, que foi publicada no Diário Oficial da União. Ela altera as regras de prova de vida e renovação de senha dos beneficiários do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) a partir do dia de sua publicação. É importante que todos conheçam estas novas regras, pois a prova de vida e a renovação de senhas são obrigatórias para quem recebe pagamento, como a aposentadoria, através de conta corrente, conta poupança ou cartão magnético. Esta renovação deve ser efetuada anualmente.

O objetivo deste procedimento é dar mais segurança ao cidadão e ao Estado Brasileiro como um todo, pois evita pagar alguém indevidamente e fraudes. Por isso, aquele que não o fizer poderá ter seu benefício suspenso até que a prova de vida seja regularizada. A Agência Bancária do beneficiário emitirá avisos que, caso sejam ignorados, o banco bloqueará o pagamento do benefício. É a rede bancária, aliás, que determina a data, sendo que, na maioria das vezes, é escolhida a data de aniversário do beneficiário ou de quando ele recebeu o benefício. Esta data deve ser avisada previamente ao cliente. O banco desbloqueará imediatamente.

Como realizar o procedimento de prova de vida e renovação de senha?

A principal mudança foi a possibilidade de aposentados ou pensionistas com idade superior a 60 anos de idade solicitarem a realização da prova de vida e também da renovação de senha também em agências do INSS, sendo que antes o procedimento apenas era realizado em Agências Bancárias.

Todos os serviços do INSS devem ser agendados na Central 135, Meu INSS (meu.inss.gov.br/central/#/) ou ainda em outros canais disponibilizados pelo INSS. O beneficiário, munido de documento de identificação com foto, deve se dirigir à sua agência bancária (onde recebe depósito do pagamento do INSS) ou a uma agência do INSS. Lembrando que os documentos válidos são: carteira de identidade, carteira de trabalho, carteira de habilitação, etc. Alguns bancos, ainda, possuem sistema de biometria para tornar o procedimento ainda mais seguro. Lembrando que não há necessidade de se dirigir a uma Agência de Previdência Social. A instituição bancária, por sua vez, deve encaminhar o registro ao INSS, utilizando o Protocolo de Pagamento de Benefícios em Meio Magnético.

Idosos com idade superior a 80 anos ou quem não puder se locomover até as agências bancárias por conta de doença ou dificuldades poderão realizar o procedimento através de um procurador cadastrado no INSS ou na própria agência bancária. O procurador deve estar munido, além dos documentos do beneficiário, da procuração e também de um atestado médico que comprove a dificuldade de locomoção ou doença contagiosa.

O procurador cadastrado também poderá ser usado para representar beneficiários que residem fora do Brasil. Além disso, também há a opção de utilizar o próprio documento de prova de vida que o consulado emite, ou ainda o Formulário Específico de Atestado de Vida para o INSS, disponível no site do INSS e da Repartição Consular Brasileira.

Para os residentes de países signatários da convenção sobre Eliminação da Exigência de Legalização de Documentos Públicos Estrangeiros (Convenção de Haia/Holanda, de 05 de outubro de 1961), a autoridade competente local da mesma jurisdição do cartório local deverá apostilar o Formulário. Já para países que não são signatários, a representação consular brasileira é quem deve legalizar o documento.

Apesar de ser relativamente fácil regularizar a situação do beneficiário, para evitar dores de cabeça quanto à prova de vida e a renovação de senha do INSS, é importante que o beneficiário se atente aos alertas realizados por seu banco. Para os procuradores, é essencial que já realizem seus devidos cadastros no INSS ou nas agências bancárias para evitar correrias na hora da convocação.

Por Jéssica Lima Cochete

INSS


Saiba como fazer para realizar a Prova de Vida para continuar recebendo o benefício do INSS.

De acordo com o Instituto Nacional do Seguro Social, o INSS, aposentados e pensionistas todos os anos precisam fazer o recadastramento da senha que dá acesso ao benefício da Previdência Social, por meio da ''Prova de Vida'', que é um procedimento elaborado pelo órgão governamental, em conjunto com os bancos que ficam responsáveis por realizar os pagamentos, com o intuito de evitar que aconteçam saques inadequados, além de permitir aos seus beneficiários.

Sabe-se que muitos dos recém beneficiários não conhecem a utilidade e a necessidade de se fazer a Prova de Vida, especialmente aqueles que acabaram o primeiro ano de benefícios e estão a caminho do segundo, etapa em que deve ocorrer o recadastramento obrigatório da senha, que a partir da aposentadoria, deve ser feito todos os anos.

Dessa forma, se o leitor é um beneficiário da Previdência Social ou conhece alguém que é um recém beneficiário, não deixe de conferir as informações abaixo, pois elas podem ser de grande ajuda, já que, sem o recadastramento o aposentado pode encontrar dificuldades na hora de realizar o saque.

Para quem não sabe o que é Prova de Vida, aqui vai uma explicação: atualmente o Brasil tem cerca de 30 milhões de assegurados ao INSS, esse número se divide em aposentados e pensionistas, sendo aposentadorias por invalidez, por idade, por tempo de serviço e as aposentadorias especiais. Dessa forma, a fim de que não aconteçam fraudes no sistema, o Governo Federal tomou a iniciativa de criar a Prova de Vida. Sendo assim, a cada ano o beneficiário necessita fazer o recadastramento da senha do cartão no banco em que recebe o pagamento.

Fazer a Prova de Vida é muito fácil! É necessário apenas procurar a agência bancária em que o benefício é pago e procurar algum atendente em um caixa. No entanto, nos Autoatendimentos o recadastramento só é possível se os bancos apresentarem um sistema biométrico. Dessa maneira, ao chegar ao caixa, é preciso estar com algum documento de identificação que tenha foto, como Carteira de Trabalho, Passaporte, RG e CNH.

Assim que ocorrer o processo de identificação, o atendente deve pedir o cadastramento de uma nova senha. Vale ressaltar que pode ser utilizada a senha anterior. Nesse caso, a recomendação feita por especialistas é que a senha seja trocada a cada ano, se houver alguma desconfiança de recebimentos ilícitos. No entanto, se não existirem tais suspeitas, compensa cadastrar a mesma usada no ano anterior, pois assim não há como esquecer. É importante frisar que caso o beneficiário desconfie de alguma coisa, a senha pode ser trocada em qualquer época do ano. Contudo, ainda assim pode ser preciso fazer o Prova de Vida, no mesmo ano da mudança, de acordo com a data que foi estabelecida pelo banco.

É bom esclarecer que não é necessário ir a uma agência do INSS, pois para realizar o recadastramento, basta ir ao banco.

Se o beneficiário não puder ir ao banco, a fim de executar o recadastramento de Prova de Vida, seja por motivos de doença ou locomoção, é necessário fazer esse procedimento por meio de um procurador nomeado pelo INSS.

Desse modo, o procurador deve buscar ir em uma agência do INSS com uma Procuração Registrada em Cartório em mãos. Além disso, é preciso levar o atestado médico para comprovar a dificuldade que o beneficiário possui, seja por doença ou deslocamento. A partir do cadastro, nesse caso, precisa ser realizado em uma agência, o procurador pode procurar o banco.

É importante não deixar para efetuar o recadastramento de última hora, mesmo sendo algo simples, muitos beneficiários deixam para procurar o banco somente após o pagamento ser negado. Então, não deixe para depois!

Por Ana Paula Oliveira Coimbra

Prova de Vida INSS





CONTINUE NAVEGANDO: